Quinta-feira, 14 de Maio de 2009

Do lar

(Esse é o metro quadrado mais rentável da minha vida!)

 

Home Office

Como é trabalhar em casa.
 
Já faz muitos anos que tomei a decisão de ser free-lancer e trabalhar em casa. Ou seja, virei aquilo que falavam da minha mãe: do lar! Ser free-lancer é uma vida para quem tem nervos de aço, porque é cheia de altos e baixos, com alguns momentos de mais baixos do que altos. Mas tem suas vantagens, como não ter chefe, nem horário, muito menos aquelas musiquinhas irritantes de sala de espera de dentista e nem um café sofrível.
 
Já faz uns 15 anos que defendo o fim dos escritórios que seguem o mesmo formato há mais de um século. Hoje, com a tecnologia de informação que dispomos chega a ser ridículo ver um jornalista sair de casa, pegar trânsito, perder tempo nas ruas, chegar a uma sala, ligar o micro, acessar a internet e fazer a mesma coisa que poderia fazer no conforto da sua casa.
 
Vários profissionais já adotaram o home-office, nome afrescalhado para o velho “trabalho em casa”. Só na minha rua, em um bairro da zona sul de SP, são vários vizinhos engenheiros, arquitetos, artistas plásticos, web-designers, jornalistas, tradutores etc etc... todo tipo de profissional liberal. São todas residências normais, pois pela lei de zoneamento esse bairro é estritamente residencial.
 
Convivendo com esses vizinhos descobrimos vários hábitos e necessidades comuns, como o uso de internet de banda larga, instalação de um porteiro eletrônico (quando não conta com empregada doméstica) e uma tremenda mudança no comportamento, sobretudo para quem sofre de déficit de atenção e começa a fazer alguma coisa sem nunca conseguir terminar... oohhh!
 
Por exemplo, esse texto começou a ser redigido faz uma semana, mas nesse período parei várias vezes para organizar o curso de pilotagem do dia 9 de maio, regar as plantas, levar a cachorra pra passear, atender novos alunos, visitar o Orkut, trocar mensagens pelo MSN ou pelo skype, e uma infinidade de distrações eletrônicas da Internet.
 
Como qualquer opção na vida, trabalhar em casa tem vantagens e desvantagens. A principal vantagem é não precisar se deslocar. Nas grandes cidades isso representa uma imensa economia de grana, tempo e saúde. Imagine o período que passei naquela revista de mulher pelada que ficava lá do outro lado da cidade. Eu saía da zona Sul para chegar na zona Norte e trabalhar em um computador, da mesma forma que faria na minha casa.
 
Outra vantagem é ficar livre dos ranços corporativos como a natural hegemonia chefe-e-os-outros, secretárias despreparadas (pra não dizer burras), estagiários espertos (no mau sentido), fofocas, almoços insosso, horários rígidos e inexplicáveis etc. 
 
No campo da desvantagem tem a natural dificuldade de concentração, a tendência a se tornar cada vez mais individualista (devolve minha tesoura, porra!), menos sociável, falta de uma secretária burra (e gostosa...), virar síndico da sua própria casa, fazer horários malucos, se render à tentação de deitar na rede para um “cochilinho rápido” e outras.
 
Por isso decidi escrever uma cartilha para quem quiser transformar sua casa em um eficiente home-office sem ficar duro nem virar um solene vagabundo de carteirinha!
 
1) Programe-se! O fato de não ter mais chefe não significa que ficou livre de prazos e eficiência. A melhor forma de evitar passar dias de pijama e pantufas é criar uma rotina de trabalho como se fosse um escritório, mas sem a rigidez nazista de um chefe carrasco. Por exemplo: estabeleça uma um horário para acordar, tomar café da manhã e iniciar as atividades profissionais. Vista-se casualmente, mas por favor, não atenda a porta de bermuda, barrigão de fora e chinelo velho. Também mantenha a aparência saudável e asseada, como fazer a barba e cortar as unhas! A falta de chefe não significa falta de regras, se bobear você acaba passando a maior parte da manhã lendo jornal, brincando com os filhos ou com as jovens e saudáveis filhas do seu vizinho...
 
2) Faça um horário e procure respeitá-lo, com hora certa para almoçar, intervalos para lanches, café e principalmente para ENCERRAR a sua jornada. Se vacilar estará trabalhando 18 horas por dia sem perceber. É importante determinar o começo e o fim da jornada. Eu encerro minhas atividades, no máximo, às 19:00 horas, porém começo às 10:00. O que dá uma jornada saudável e razoável, sem exageros, nem margem para cochilos.
 
3) Faça intervalos regulares. Pô, vc está na sua casa, portanto aproveite para curtir seu jardim, seus filhos e seus animais de estimação. Mas é importante ensinar os filhos que o fato de estar em casa o dia todo não significa que você está disponível o tempo todo! Faça com que eles percebam o lado “empregado” de sua atividade e que você tem prazos e precisa produzir como se estivesse em uma empresa, porém com a vantagem de fazer pequenos intervalos para ler gibi, contar história, dividir uma brincadeira, enfim, curtir a maravilhosa sensação que é ver seus filhos crescerem ao seu lado.
 
(Curta seus filhos...)
 
4) Instale um porteiro eletrônico! Quem mora em casa sabe o inferno que representa uma campainha tocando a cada meia hora. E uma paralisação besta pode arruinar a continuidade de quem trabalha com criatividade, por exemplo. Bem no meio do raciocínio você tem de parar para abrir a porta a um fanático religioso vendendo uma cota de participação no Paraíso! E tenha um telefone sem fio com identificador de chamada!
 
5) Avise seus amigos que agora você trabalha em casa, mas que não significa total liberdade para tomar uma cerveja terça-feira às 3 da tarde! Claro que pode fazer uma concessão eventual e acompanhar um amigo a um evento, dar uma carona, ir à festa dos filhos etc. Lembre que criar rotina não pode representar uma rigidez militar. Eu mesmo paro tudo que estou fazendo às vezes só para ir ao mercado, lavar o carro, ir ao banco qualquer coisa que relaxe a cuca e funcione como uma válvula de alívio para a criatividade. Várias boas idéias surgiram nesses momentos.
 
6)  Muitos profissionais nestas condições têm a tendência a trocar o dia pela noite. Conheço pessoas que desempenham muito mais de madrugada e isso tem nada de errado. Mas aos olhos das pessoas comuns acordar tarde pode ser sinal de preguiça ou vida desregrada. Ninguém tem a obrigação de saber que você ficou trabalhando até as 3 da madrugada. Por isso evite atender o telefone com aquela voz de quem acabou de ser despertado! Use a secretária eletrônica e desligue a campainha do telefone. Se tiver uma reunião no horário da manhã procure dormir cedo pra não chegar com a cara amassada e a marca do travesseiro estampada na testa.
 
(Não fique de roupão o dia todo!)
 
7) Existe uma grande diferença entre trabalhar em casa quando se mora sozinho ou quando tem a companhia da família. Muitas vezes é difícil convencer sua cara-metade de que você não “fica” na internet o tempo todo, mas que você TRABALHA com auxílio da internet. E que também não pode parar o tempo todo para consertar uma torneira, desentupir a pia, amolar a faca, trocar a lâmpada, envernizar as janelas etc.
 
8)  Se seu trabalho depende da internet e hardwares funcionando 24 horas por dia, sete dias por semana tenha opções alternativas para caso de queda de sistema. Depois de quase enlouquecer por ficar uma semana sem conexão adquiri um modem de banda larga 3G de reserva. Tem planos a partir de 49 reais e na primeira queda de conexão ele se paga! Também tenha um notebook sempre por perto, porque um vírus pode tirar sua máquina do ar e achar uma lan-house às 11 da noite pode ser relativamente perigoso...
 
9) Se seus filhos e cônjuge brigam pra usar seu computador está na hora de ter uma segunda máquina. Tente mostrar que seu computador é uma ferramenta de trabalho e não um brinquedo divertido (quer dizer, é sim, mas só quando eles estão longe...)
 
10) Sabe aquela época que você estava na escola, olhava pela janela e via aquele céu azul lindo e se maldizia por não poder aproveitar? Então, agora você pode se permitir pegar um dia lindo durante a semana, dar um tempo no trabalho e dar uma volta de bicicleta (ou de moto).
 
11) Uma das tendências de quem vive no home-office é se tornar mais workaholic do que seu ex-chefe. Evite comer e voltar diretamente ao trabalho. Quando você vivia escravizado tinha de sair para almoçar, muitas vezes perto do escritório, e voltava a pé. Essa pequena caminhada garantia a queima leve de caloria. Trabalhar em casa pode eliminar esse exercício e corre-se o risco de comer-trabalhar-comer-dormir. Crie o hábito de dar uma voltinha a pé após cada refeição, já a partir do café da manhã. Se for preciso entre em uma academia perto de casa, porque agora não tem mais a desculpa da falta de tempo!
 
12) Lembre que alguns benefícios do mundo corporativo não fazem mais parte da sua vida, portanto programe-se para tirar férias, faça uma pensão privada e um plano de saúde. Ah, você não tem mais 13º salário, mas seus fornecedores (guarda-noturno, empregada, contador etc) têm, portanto programe-se para um gasto extra em dezembro/janeiro.
 
13) Fique longe das tentações... evite abrir MSN, Orkut, Twiter, Facebook e outras coisinhas divertidas e tentadoras. Concentre-se, afinal um texto como esse de 9.000 caracteres poderia ser escrito em duas horas e não em uma semana...
 
Em suma, trabalhe, curta a vida, aproveite que agora você ouve a música que quer, faz um café muito melhor, chutou o mundo corporativo da sua vida e boa sorte na nova experiência! Se você também tem um home-office e quiser acrescentar alguma dica, manda bala e escreve aí embaixo!

 

publicado por motite às 16:36
link do post | comentar | ver comentários (22) | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 14 seguidores

.Procura aqui

.Junho 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Do lar

.arquivos

. Junho 2019

. Março 2019

. Junho 2018

. Abril 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds