Terça-feira, 1 de Junho de 2010

Made in China

(novo calo balatinho feito na China)

 

Chega ao Brasil o Chery Cielo, proposta chinesa de carro médio bem equipado

 

Fotos: Divulgação

 

Sim, ele é feito na China, mas esqueça comparações com produtos descartáveis vendidos na rua 25 de março, porque quando o assunto é indústria automobilística a China é o país que mais cresce no mundo e chegou no patamar de 16 milhões de unidades produzidas por 150 montadoras ao ano. Dessas, a número um de capital chinês é a Chery, que já trouxe ao Brasil o SUV Tiggo e o pequeno monovolume Face e agora desembarca o Cielo, que se encaixa entre os veículos médios e pequenos, nas versões hatch e sedã, que tem como principal atrativo o preço: R$ 41.900 nas duas versões.

 

Encaixar-se entre as categorias é a melhor forma de especificar que o Cielo é maior que os carros pequenos e um pouco menor que os da categoria média. Seria um “médiozinho” ou um “pequenão”. E não tem como confundir o cliente, porque as duas carrocerias chegam com apenas uma versão de equipamento, exatamente a mais completa. Por esse valor o Cielo vem com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricas, alarme, sistema de som, freios ABS com distribuição equilibrada (EBD), duplo air-bag, ou seja, a relação custo x benefício é extremamente interessante.

 

O estilo é bem sóbrio, resvalando no esportivo porque o desenho foi encomendado ao estúdio italiano Pininfarina. A grade dianteira lembra os Audi, enquanto a traseira do hatch tem forte semelhança com o primeiro Renault Mégane. Pode-se dizer que é bem desenhado e discreto. As rodas de liga leve de 16 polegadas (pneus 205/55) reforçam o apelo esportivo.

 

No interior o ponto alto é o amplo espaço para cinco pessoas com cintos de segurança de três pontos também para os passageiros. O acabamento ainda merece um pouco de atenção, sobretudo nos plásticos duros, com problemas de encaixe e até ásperos a ponto de arranhar a pele em alguns pontos. O plástico do painel apresenta irregularidades como se fossem bolhas e o tecido dos bancos poderia ter um toque mais macio. Curiosamente o freio de mão é deslocado para a direita, porque é projetado para mercado japonês com volante do lado direito.

 

Em movimento

A primeira boa impressão são os bancos envolventes, com regulagem milimétrica do encosto e apoio para cabeça. Motor acionado e percebe-se a boa forração acústica. Primeira marcha engatada e a alavanca de câmbio (de cinco marchas) mostra um curso muito longo a ponto de o motorista encostar a mão no painel. Não existe opção de câmbio automático. O console poderia ser mais estreito pois a perna passa maior parte do tempo apoiada nele e um dos porta-objetos quase esbarra na alavanca de câmbio quando aberto.

 

O motor 1.6 litro, a gasolina, de 16 válvulas e 119 cv tem funcionamento equilibrado e silencioso. Porém parece fraco para puxar os mais de 1.300 kg. Um detalhe interessante é o acelerador tão macio que chega a confundir o motorista. Em termos de desempenho é bem discreto, com velocidade máxima declarada de 170 km/h e aceleração de 0 a 100 km/h feita em demorados 14 segundos. Talvez um motor 1.8 ou 2.0 cairia melhor para este tamanho de carro. Também o consumo não é muito convincente, com o valor declarado de 8,7 km/litro. Existe plano de um motor flexível para o futuro.

 

Com as colunas “A” um tanto grossas e o painel alto, o pára-brisa ficou pequeno e estreito, na contra-mão da tendência mundial que é de carros com ampla visibilidade externa. No hatch a visibilidade traseira também é pequena, mas compensa pelo sensor de ré, presente nas duas versões.

 

Um item que contribuiu muito para o conforto é a bem ajustada suspensão, com sistema independente na traseira. É fácil imaginar que o tipo de terreno encontrado na China é bem parecido com o nosso e isso facilitou o acerto da suspensão para nosso mercado.

 

Para fugir da fama de “perigoso” a Chery equipou seus carros com muitos itens de segurança, que incluem repetidores de pisca nas laterais, barras de proteção nas portas, pára-choques deformáveis, faróis com luzes auxiliares de neblina e freios a disco nas quatro rodas. Todos itens de série. O Cielo, chamado de A3 na China, foi o primeiro carro chinês a receber certificação cinco estrelas na rígida norma C-NCAP de segurança.

 

E as famílias podem desfrutar de amplo espaço no porta-malas, especialmente da versão hatch. Ambas as versões têm os bancos bipartidos e a capacidade pode ampliar ainda mais, chegando a 1.000 litros!

 

Mesmo com um calo de potência no motor, o Cielo (nome escolhido por meio de concurso) oferece equipamento e segurança por um preço competitivo. Segundo a direção da empresa, já estão sendo desenvolvidos fornecedores de peças no Brasil para itens de alta rotatividade como pastilhas de freio, velas, filtros e correias. Até este momento estão abertas 33 concessionárias e há previsão de inaugurar mais 28 até o final do ano. Com a preocupação de reduzir os custos de manutenção, as revisões têm preço fechado, sendo gratuita aos 2.500 km gratuita; R$ 195,00 aos 10.000 km e R$ 275,00 aos 25.000 km. A previsão até o final do ano é de 2.000 cielos vendidos no Brasil, sendo 70% hatch e 30% sedan.

 

Para saber mais, clique aqui

 

Ficha Técnica

Motor: 1.6, 16V, quatro cilindros em linha, injeção eletrônica

Potência: 119 cv a 6.150 rpm

Torque: 14,98 kgf.m a 4.300 rpm

Taxa de compressão: 10,5:1

Tração: dianteira

Câmbio: mecânico, 5 marchas + ré

Suspensão diant. Tipo MacPhearson, com barra estabilizadora

Suspensão trás.: multi link, independente,

Freios: a disco nas quatro rodas

Peso: 1.350 kg (hatch) e 1.375 (sedã)

Tanque de gasolina: 57 litros

Comprimento: 4.280 mm (hatch) 4.352 mm (sedã)

Largura: 1.972 (h) 1.794 (s)

Altura: 1.467 (h) 1.464 (s)

Entre-eixos: 2.550 mm

Portas: 5 (h) 4 (s)

Rodas: 16 polegadas

Pneus: 205/55R16

 


 

 

 

tags: ,
publicado por motite às 21:48
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 14 seguidores

.Procura aqui

.Junho 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Made in China

.arquivos

. Junho 2019

. Março 2019

. Junho 2018

. Abril 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds