Sexta-feira, 17 de Abril de 2009

Aniversário

Apague o velhinho...

     Hoje, dia 17, é meu aniversário de 50 anos! Pãtz, passou rápido. Parece que foi ontem que nasci! E como se repete em alguns anos, meu compleaño cai no feriado prolongado. Neste ano devo agradecer ao finado Joaquim José da Silva Xavier pelos quatro dias de folga.
     Quando fiz 18 anos meu aniversário também caiu em um feriado. Acho que foi semana santa, Páscoa, não lembro, mas meus amigos, inclusive meus pais e irmãos, foram viajar! Estava sozinho em São Paulo em uma data muito importante. Precisava de uma festa sob o risco de entrar em depressão e cometer algum tipo de suicídio etílico, como encher a cara de licor de ovo.
     Peguei meu carro – sim, leitor, eu era um mauricinho que dirigia desde os 12 anos e já tinha carro e moto aos 16! – e saí rodando pela cidade de São Paulo. Estava tão perdido que fui parar no bairro da Aclimação rodando que nem barata tonta. De repente, passando em frente a uma igreja percebi que estava rolando um casamento. Na hora tive uma idéia: “Pô, taí, a festa está pronta, cheia de convidados e sem gastar nem um centavo!”
     Entrei na igreja, já mapeando o ambiente para identificar as famílias do noivo e da noiva. Percebi que se tratava de famílias simples e que o pai da noiva estava numa alegria raramente vista. Colei no lado da família da noiva e fui só me aproximando e cumprimentando todo mundo.
     – Parabéns Sra, parabéns Sr, é um dia muito feliz, etc e tal...
     Decerto, cada família me olhava como se fosse convidado do outro lado e vice versa. Na hora de cumprimentar noivos e padrinhos eu abracei o pai da noiva e comentei:
     – Puxa, estou tão feliz, é uma noite para dupla comemoração: o casamento da sua filha e meu aniversário!
 
(18 anos, cabeludo e mauricinho...)
 
     O homem me olhou de cima a baixo, mediu, remediu e eu imaginei que fosse levar a maior surra da minha vida. Nessa época eu tinha cabelo. Muito! E comprido, estilo roqueiro! Nem todo mundo aprovava homens cabeludos. Mas mantive o cinismo até que o homem abriu um sorriso, emocionado, quase chorando, me abraçou e gritou:
     – Então hoje é um dia para fica na história! Vamos pra festa!!!
     Festa! E teria uma festa!
     Segui o comboio de carros pelos bairros de São Paulo até chegar a um conjunto de casas muito simples e uma delas se destacava. Era uma dessas casas construídas aos poucos, com aposentos meio improvisados, escadas esquisitas em locais que nenhum engenheiro aprovaria, puxadinhos e... a laje! Festa na laje, adoro! Uma churrasqueira de tambor defumava o ambiente e vários barris de chope empilhados eram a garantia de que naquela festa ninguém passaria sede, nem fome, nem tristeza.
     O pai da noiva me pegou pelo braço e saiu apresentando pra todo mundo:
     – Hoje é aniversário do Geraldo, vamos fazer a melhor festa da vida dele!
     As pessoas me tratavam com tanta alegria, gentileza e carinho que por algum momento eu não sabia mais se aquela era mesmo uma festa de casamento ou do MEU aniversário. Ninguém deixava meu copo vazio, nem minha barriga! Era espetinho e chope. Chope e espetinho! Alguns convidados contavam partes da história daquela família que era o padrão daquela época: vieram do Nordeste, o pai era pedreiro, depois mestre de obra até chegar a empreiteiro. A história típica do imigrante que se deu bem na cidade. Por isso a casa era esquisita, fora construída em etapas por ele mesmo!
     O tempo foi passando, minha visão turvando, meu fígado empastelando, minha noção de responsabilidade desaparecendo e comecei a abraçar todo mundo como se fossem meus parentes mais próximos. Beijava, abraçava e – como convém a todo bêbado em festa – chorava de emoção. E ninguém fazia a menor idéia de quem eu era!
     Percebi que estava chegando a hora de sair de fininho, mas não fazia menor ideia de onde estava. Perguntei pra uma mocinha:
     – Como chama esse bairro?
     – Jardim Clímaco!
     – O quê? Jardim Climax? Muito prazer! Que interessante, um bairro com nome de orgasmo! Falando nisso...
     Bêbado, folgado e incoveniente, percebi que era a deixa para bater em retirada. Porque o fim de todo bêbado mala em festa é a surra.
     Quando minhas pernas já não suportavam mais o peso do corpo, consegui reunir um restinho de forças pra chegar ao minúsculo Fiat 147, reclinar o banco e... apagar!
     Acordei com o solzinho fraco típico de outono e a passarinhada fazendo uma barulheira fatal para quem está sob o efeito de uma ressaca avassaladora. Olhei em volta para checar se o conteúdo do meu fígado não tinha saído do corpo, mas estava tudo limpo e seco. Liguei o carro e fui pra casa, curtir o resto de ressaca. Claro que me perdi que nem um peru bêbado, ou de ressaca, mas cheguei!
     Refeito, nos dias seguintes pensei muito naquele pai da noiva. Na sinceridade da alegria daquele homem. Na simplicidade daquela família e tive o impulso de voltar lá, agradecer e levar um presente. Mas como descobrir aquele endereço no Jardim Orgasmo? Ah, fácil, na igreja da Aclimação!
     Rodei por toda aclimação e não achava a Igreja. Não lembrava nada. Nenhum vestígio que identificasse a “minha” igreja. Perguntei, rodei e... nada!
     Quando desisti fiquei imaginando até se aquela festa não teria sido um surto psicótico, uma alucinação, pesadelo, sei lá!
     Depois do 18º aniversário vieram 32 outros 17 de abril até hoje. Fiz várias festas, recebi várias festas e comemorei meu aniversário de muitas maneiras: ao lado da família, de amigos, de colegas de trabalho. Mas aquele senhor, ex-pedreiro, empreiteiro, que alcançou o objetivo de vida ao criar, educar e casar a filha estava certo: aquela foi a melhor festa de aniversário da minha vida! Pelo menos é a única que lembro cada detalhe. Cinqüenta anos depois!
 
(Faz tempo que fiz 18 anos...)

 

publicado por motite às 23:37
link | favorito
De HênioBarrosJr. a 18 de Abril de 2009
tá de brincadeiraaaaaaaaaa !!!!!????
Meu aniversário é no mesmo dia que o seu, estou lendo teu blog a essa hora ( 2h15min da matina) porque tava bebemorando =)
Parabéns tite!!!! continua com esse teu ótimo trabalho, com esse jornalismo sério e sem tendencionalismo, imparcial, falando a verdade doa em quem doer, é isso que faz com que nós seus fãs não larguem teu blog nem no dia do teu/nosso aniversário =D
Estou com planos para uma hornet até o fim do ano, caso consiga quero muito fazer o teu curso de pilotagem, vai ter que vir aqui pra Caruaru. heheh
Grande abraço.
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 14 seguidores

.Procura aqui

.Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. A História da Foto: surto...

. A História da foto: uhuuu...

. A História da Foto: minha...

. A História da Foto: perdi...

. A História da Foto: como ...

. História da foto: a dor e...

. O papel da moto durante a...

. A História da Foto: compa...

. A história da foto: perdi...

. A história da Foto: Yamah...

.arquivos

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Julho 2019

. Junho 2019

. Março 2019

. Junho 2018

. Abril 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds