Terça-feira, 27 de Julho de 2010

Marmelada so sugo

Tudo começou aqui...

 

Não sei o que me deixou mais indignado: se a manobra da Ferrari para Fernando Alonso vencer o GP da Alemanha de 2010 ou a reação dos meus colegas jornalistas. Os brasileiros, claro, porque os jornalistas espanhóis e italianos se fregaram niente pelo episódio. Fiz questão de olhar a capa dos principais jornais europeus na segunda-feira por meio daquele ótimo site Today’s Front Page. Lá na Espanha campeão mundial de futebol,a principal notícia foi a vitória de um ciclista espanhol na Tour de France, espécie de Copa do Mundo de ciclismo. Nos jornais italianos a única observação triste foi a multa de US$ 100.000 imposta à “rossa”. Ou seja, a choradeira foi brasileira mesmo, como se nunca na história deste País um brasileiro não tivesse sido beneficiado por jogo de equipe!

 

Acompanho F1 desde antes do Emerson Fittipaldi. Mas naquela época as notícias vinham com três meses de atraso por meio das revistas Quatro Rodas e Auto Esporte. Lembro que os meus desenhos de F1 na infância eram dos carros de Jochen Rindt ou Jackie Stewart. Quando o Emerson ganhou da primeira corrida de F1 em 1970 a notícia foi muito discreta em alguns jornais.

 

Em 1977 comecei a trabalhar meio sem querer como fotógrafo e com ajuda dos padrinhos Ronaldo e Reginaldo Leme passei a trabalhar em todos os GPs Brasil de F1 até 1989, quando a era das câmeras digitais caríssimas interromperam meu futuro na fotografia. Mesmo assim foram 12 anos acompanhando de perto a principal categoria do automobilismo mundial. Mas antes disso assisti das arquibancadas todos os GPs Brasil desde 1972.

 

Peguei a fase dos carros ainda com suspensão e pouco down force. Era de arrepiar ver Ronnie Peterson fazer a curva do Laranjinha de lado com a Tyrrell de seis rodas.  Ou o Emerson Fittipaldi mergulhar na curva 1 de pé cravado na McLaren. Coisa de macho alpha triboliano (com 3 bolas no saco!). Profissionalmente cheguei na F1 na era dos carros com grande pressão aerodinâmica, além de uma maior ainda pressão econômica por parte dos patrocinadores. Os carros não derrapavam mais e grudavam no chão que nem autorama. Mas ainda era bem romântica e os pilotos ganhavam pouco, comparado com hoje!

 

Quem está chiando com esse lance do Alonso e Massa não conhece a história da F1 ou está defendendo o ufanismo num ambiente no qual a única bandeira a ser defendida é a da vantagem econômica. Em 2010 o campeonato mundial de pilotos de F1 fez exatos 60 anos. Nos primórdios já havia o espírito de corporativismo nacionalista ao usar cores dos países na pintura dos carros. Os ingleses eram verdes, franceses azuis, italianos vermelhos etc. Ou seja, a equipe sempre foi mais importante do que a pessoa que arriscava o pescoço lá dentro. No período pós-guerra as nações européias viviam uma depressão moral gigantesca quem não resolveria nem colocando Lexotan na comida. Por isso era tão importante enfatizar a glória dos países e não de uma pessoa.

 

E quem conhece a história da F1 pré-oficial ainda vai se assustar com algumas presepadas do tipo: o carro do primeiro piloto quebrava e a equipe mandava o segundo piloto parar no Box para dar seu carro ao bonitão primeiro-piloto. E ai de quem reclamasse!

 

No finalzinho da década de 60 o genial Colin Chapman inovou ao mandar uma banana ao patriotismo e pintou seu Lotus de vermelho e dourado, cores da marca de cigarros Gold Leaf (folha dourada) e ainda mudou o nome da equipe para “Gold Leaf Team Lotus”. Pronto, neste dia acabou de vez a ingenuidade da F1 porque abriu um leque de interesses econômicos irreversíveis. Deste momento em diante vencer corridas não dava prestígio apenas ao piloto, ao país ou a uma marca de carro, mas fazia vender mais cigarro! E como se fumava naquela época!

 

Emerson no Lotus 72

 

Se é segundo é porque não é primeiro!

Dãããã, nada mais óbvio, só para os jornalistas brasileiros essa lógica tão cartesiana parece complexa demais. Então deixa eu refrescar a memória dos colegas de Lisarb. O Emerson Fittipaldi só ganhou sua primeira corrida na F1 em 1970 porque o primeiro piloto da equipe, meu ídolo Jochen Rindt tinha morrido e deixou um Lotus 72 novinho, com a revolucionária frente em cunha, acertadinho pronto pro brasileiro sentar e acelerar. Porque se Rindt não tivesse dado a castimbada no treino do GP da Itália, em Monza, Emerson teria corrido com o velho Lotus 49C de 1969 em forma de charuto com rodas e esperaria muito tempo para ser primeiro piloto.

 

Primeiros e segundos pilotos existem em qualquer modalidade desde a época jurássica do automobilismo. Não me perguntem o porquê, mas no motociclismo essa coisa de primeiro piloto nunca existiu, ou se existia eles têm uma forma muito estranha de camaradagem porque os pilotos de uma mesma equipe disputavam e disputam até hoje a vitória como se fosse briga de foice no elevador.

 

Voltando à F1, a mesma equipe Lotus foi acusada de ingenuidade em 1973 quando deu liberdade a seus dois pilotos Emerson Fittipaldi e Ronnie Peterson de se estapearem à vontade dentro das pistas. No final do ano Emerson reclamou barbaridade porque Peterson teria “roubado” pontos preciosos que impediram o brasileiro de papar o bi-campeonato. Sorte do Jackie Stewart que ganhou o terceiro título mundial.

 

Com jeito de quem aprendeu a lição, Chapman decidiu botar ordem no galinheiro e em 1978 convidou o ítalo-americano Mario Andretti para pilotar o moderníssimo carro asa. Mario aceitou com a condição de Peterson (de novo) se mantivesse como segundo piloto e jamais o ultrapassasse. Apesar de ser visivelmente mais rápido, Peterson teve de aceitar o papel de segundão e escoltou Andretti em várias vitórias que culminaram com o título do americano. Peterson não teve tempo de ver a promessa de ser primeiro piloto ser cumprida, porque morreu no GP de Monza do mesmo ano depois de uma porrada geral na largada.

 

A história da F1 mostra muitos mais casos de equipes nas quais havia uma determinação contratual de primeiro e segundo piloto do que equipes que liberaram a briga entre seus contratados. Os brasileiros não gostam de lembrar de certas coisas, mas nossos grandes pilotos como Emerson, Piquet e Senna vetaram vários companheiros de equipe e exigiram que a equipe trabalhasse só para eles. Mesmo assim houve brigas homéricas entre Piquet e Mansell na Williams e a famosa pancadaria verbal e efetiva entre Senna e Prost, além da já citada Emerson x Peterson. Mas os jornalistas brasileiros não escreviam textos indignados sobre o favorecimento aos pilotos da pátria amada. É mais ou menos assim: o Luis Fabiano pode ajeitar a bola com o braço para fazer o gol do Brasil, o Ayrton Senna pode vetar a contratação do Martin Brundle, mas o Alonso não pode exigir ser primeiro piloto... e ainda escrevem páginas e mais páginas evocando a falta de ética na F1, até citando o episódio de Rubens Barrichello em 2002!

 

Se tudo isso acontecia em uma época que as cifras de patrocínio eram ainda comedidas, imagine hoje, com a avalanche de dólares que cada equipe recebe por cada centímetro quadrado de publicidade em seus carros! Podem ter certeza que o salário do Alonso é beeeeeeeem maior do que o do Felipe, porque o brasileiro só foi campeão mundial por 20 segundos em 2008. Alonso foi campeão mundial duas vezes, levou um contêiner de dinheiro do banco espanhol Santander à Ferrari e por isso ele é o primeiro piloto e ponto final! É pra ele ser campeão mundial e Felipe terá de trabalhar para isso ou pedir demissão e correr na Lotus, Hispania ou Virgin, qual você acha a opção mais sensata?

 

Também não entendo a indignação dos torcedores brasileiros, pessoas que na vida corporativa são obrigadas a engolir sapos muito mais gordos, espinhosos e peludos do que correr na Ferrari e ganhar milhões de dólares por isso! Inclusive os colegas jornalistas! Quantas vezes um editor não foi lá e mexeu no texto a ponto de mudar até a opinião final e teve de aceitar ou procurar outra empresa? No mundo corporativo quantas vezes um gerente vai pro sacrifício em nome da empresa? Quem acompanha minha série de artigos “vida corrida” sabe que uma equipe de F1 em nada se diferencia de uma empresa ou exército. É um por todos e todos pela equipe!

 

Quem não gosta de ver este tipo de jogo de equipe tem a opção de mudar de modalidade. Na MotoGP, por exemplo, as equipes deixam seus pilotos literalmente se engalfinharem dentro da pista a ponto de formar duas equipes separadas dentro do mesmo time. Na MotoGP já se viu até uma moto da equipe correr com uma marca de pneu e a outra moto usar outra marca por pura exigência dos pilotos e se o patrocinador ficar ofendido que vá procurar outra equipe! Alguém consegue imaginar o Valentino Rossi deixando o Jorge Lorenzo vencer só pra ajudar a equipe? Nem por todo dinheiro do mundo!

 

Os jornalistas brasileiros precisam enfiar uma coisa na cabeça: Fórmula 1, GP2, Fórmula Fiat, Stock-Cars, F-Truck, motovelocidade, MotoCross e qualquer competição motorizada não é esporte. É negócio, business, sempre foi assim desde que Colin Chapman colou o adesivo Gold Leaf e cobriu o verde da Inglaterra com o vermelho e dourado da Gold Leaf. Se Fórmula 1 fosse esporte já deveria estar nas Olimpíadas! Esporte é uma atividade HUMANA, realizado por pessoas. O máximo que se permite de mecanização é a bicicleta e o barco à vela, porque não têm motor. Existe alguma modalidade olímpica movida a motor? Tá bom, tem o hipismo, mas sem cavaleiro o cavalo não participa!

 

Tenho vergonha quando vejo jornalistas-torcedores defendendo um piloto só porque traz no passaporte a nacionalidade brasileira, independentemente de resultados. Esse nacionalismo fora de moda atrapalha quem assiste uma competição pelo puro prazer de ver a DISPUTA, sem torcer especificamente para piloto ou equipe. Caso os jornalistas não saibam, existe gente que gosta de futebol sem torcer pra time nenhum! Eu vejo corrida de carro e moto pela emoção das disputas e tem mais gente que pensa assim no mundo. A F1 não vai perder um torcedor por causa de marmelada. Nada foi pior do que a presepada da Renault no GP de Cingapura de 2008, envolvendo um BRASILEIRO e a categoria resistiu, sem perder audiência por causa disso.

 

Se alguém ainda não percebeu isso, recomendo procurar uma atividade menos estressante do que o jornalismo. Ah, por favor, parem com essa bobagem de boicotar os patrocinadores e a própria Ferrari. Até parece que alguém deixará de comprar uma Ferrari F 360 Modena só porque “tiraram” a vitória de Felipe Massa na Alemanha!

 

Já escrevi centenas de vezes que piloto “bonzinho” não sobrevive. O mundo das corridas só tem lugar para quem tem colhão. Falando nisso, os três últimos grandes escândalos da F1 – espionagem da McLaren em 2007; manipulação do resultado do GP de Cingapura em 2008 pela Renault e manipulação do resultado do GP da Alemanha pela Ferrari em 2010 – tiveram como ator coadjuvante o mesmo piloto: Fernando Alonso! Hay que tener cojones...

 


publicado por motite às 19:27
link do post | comentar | favorito
26 comentários:
De Antônio a 27 de Julho de 2010 às 20:15
Por mais que seja comum, não deixa de ser feio este jogo de equipe.
E por isto não compro, não compro e não compro....
Vou continuar com meu fusca 86. :Ph
De The Crow a 27 de Julho de 2010 às 20:36
...vc é aquele que queria colocar motor de Ferrari no fusquinha???

(discussão no post da Horex V6)
De Diomar Rockenbach a 27 de Julho de 2010 às 22:01
Na verdade era eu. E nem tinha visto mais os comentários daquele post. Acabei de ver as asneiras que tu falou. Educação não é bom apenas na vida social, mas na internet também. Não é por que está escondido atrás de um computador que pode sair falando o que quer. Aprenda a ter um pouquinho de educação.
A tua indgnação com o post é bem coisa de pobre, que tem inveja da conquista dos outros, e sabe que nunca poderá ter o que tanto sonha, mas eu te entendo.

*Em nenhum momento falei em por motor de Ferrari, apenas um motor bom e potente. Motor bom e potente pra mim seria algo que não tenha vibração e ruídos excessivos como o do fusca, e potência suficiente para que eu possa subir uma lomba sem precisar por primeira marcha como o motor de fusca. Não quero andar a 320 km/h nem andar chamando atenção, muito pelo contrário.
De The Crow a 27 de Julho de 2010 às 22:08
rsrsrsrs que figura cara...rsrsrsrs ele ficou puto!!!

Dexa de ser chorão, chama a mamãe pra te defender bobão!!!


Só uma pergunta... que motor seria esse??? 1.8AP ou 2.0Ap???...são os que ficam menos ruim nesse carro... não aconselho por que acaba com o chassi e trinca a lataria toda.
Outra pergunta... o charme do pobre fusquinha não é justamente o barulho que o motor faz??? uma de suas marcas registradas???

Agora dexa de ser bobão que isso aqui é só uma conversa, sem grilo, bronca ou qualquer coisa do tipo, cada um da sua opinião.
De motite a 27 de Julho de 2010 às 23:43
atenção Diomar e Cráu, vou apagar todos estes comentários maleducados dos dois. Isso aqui é um BLOG e não ORKUT!!!
De The Crow a 28 de Julho de 2010 às 13:22
...que isso, eu e o Diomar só estamos chegando a um acordo, longe de mim ser maleducado com ele. É que quando vi a primeira mensagem lembrei do cara, mas nem lembrava quem era.

Ele e a Maria ficaram brabos por que "eu" não gosto da Horex. Mas ja passou...

Na verdade eu ia comentar com o Antonio que escreveu o primeiro post, se o fusquinha que ele se refere esta original ou não... só que ai o cara veio brabo...rsrsrs e não deu pra perguntar.

Mesmo assim é melhor deletar os comentarios pra ficar mais limpo.
De Diomar Rockenbach a 28 de Julho de 2010 às 13:35
Fica a vontade, mas o mal educado não sou eu.
De Frank a 28 de Julho de 2010 às 17:42
Isso ae Tite, bota ordem na casa, já basta as "comus" de orkut cheias de macho alpha triboliano (essa foi boa hauhauhua) que fala tudo o que quer atrás de um teclado mas ao vivo ficam quietinhos... Eu nunca vejo as pessoas expondo suas opniões assim em conversas ao vivo, vejo discussões saldáveis, sem agressividade, mas na internet... aí todos viram hominhos, falam mal criticam e o escambau...
De The Crow a 29 de Julho de 2010 às 17:41
...vc acabou se incluindo no traço "hominhos atrás do teclado"...rsrsrsrs
De Frank a 29 de Julho de 2010 às 17:58
Não me considero incluido não... como eu escrevi "hominhos, falam mal criticam, e o escambau", leio o motite desde a 1º postagem dele, se procurar pelo meu nome, vai encontrar umas poucas mensagens, e não estou discutindo com, ou criticando alguém em nenhuma delas, e prefiro conversar diretamente com as pessoas, logo, não estou incluído aí, e como também disse que não gosto das brigas de comunidades do Orkut, vou fazer a minha parte para não trasformar o espaço do Tite em uma, parando por aqui.
De Ernesto a 4 de Agosto de 2010 às 17:32
u cara maio baba ovo
De Anónimo a 27 de Julho de 2010 às 20:33
Tite,

Não adianta dar murro em ponta de faca. Brasileiro é uma mistura de pacheco com gerson e não vejo como mudar isso a curto prazo. Na verdade, a prazo nenhum.

[]

Irineu
De Anónimo a 27 de Julho de 2010 às 21:57
Em relação a algumas empresas de comunicação isto vira a maior piada: condenam o jogo da Ferrari mas manipulam o jornalismo com interesse político a décadas.
Eu pelo menos nunca vi um jornalista escrever na contra mão da orientação de sua empresa e se manter no emprego. Pelo menos não nestas que usam estes episódios para posar de indignadas e defensoras do orgulho brasileiro.
Imagino que assim como o Massa, dentro destas empresas tem muito jornalista que engole sapo, entra no jogo corporativo e fica quieto para não perder o emprego.
De Eduardo Heidrich a 28 de Julho de 2010 às 13:40
Excelente aula de história... mesmo, mas não esqueça que estamos no século 21.
O mundo mudou!
De Andreas a 28 de Julho de 2010 às 14:11
E eu que achava que só eu não considerava F1 um esporte. Na boa, se F1 é esporte, jogar video-game também é.

E quanto a trabalhar para ajudar o outro, entrar em jogo com função de proteger seu companheiro de equipe para que ele faça o trabalho e leve todo o crédito é normal e ninguém precisa ficar indignado, em qualquer esporte que isso seja possível, isso é feito.

O melhor exemplo é o ciclismo. Nunca assitiram a Tour de France? O ciclista principal é constantemente protegido para que os demais nada consigam fazer com ele e ainda bloqueiam o vento para que ele seja o que menos se canse, fora que o que acontecia antigamente na F1, o segundo piloto entrar no box para entregar seu carro ao primeiro piloto caso o carro dele desse problema também acontece no ciclismo. Se acontecer qualquer coisa com a bicicleta do ciclista principal, alguém da equipe têm de ceder sua bicicleta para ele e ponto final.

Está certo isso? Não na minha opinião, mas é assim que as coisas são, não mudarão, e são assim também em outros esportes.
De Thiago a 28 de Julho de 2010 às 14:36
Fala Tite, acho que o grande problema é a expectativa que os pilotos brasileiros criam e passam pra torcida. Pq o Massa não falou logo que a condição dele era de segundo piloto e ele ia lutar pra andar bem e melhorar??? Fica falando que vai ser campeão, que anda pra cacete e que os 0,5s q tá tomando na pista são fruto de problemas com os pneus...Isso vai criando uma expectativa na torcida que faz todo mundo achar que ele tá correndo pra tentar ser campeão, quando na verdade ele nem pode vencer se o Alonso tiver em segundo.

O cara é segundo piloto, sabe disso, não conta pra ninguém e depois que acaba a corrida ainda sai do carro todo putinho, com cara de contrariado...só faltou chorar pra se fazer coitado. Fala logo a real e para de enganar a torcida que aí ninguém vai mais cobrar nada dele
De The Crow a 29 de Julho de 2010 às 17:43
...comentario muito sensato, criam expectativa em algo que nunca vão fazer.
De Anónimo a 28 de Julho de 2010 às 14:51
Alguém podia mandar o link dessa matéria para o Gerson Campos, junto com um chá de humildade. Aquele cara é um mala
De Pedro a 28 de Julho de 2010 às 16:57
A Globo mais uma vez com todo esse mimimi por interesses, e não por defesa do esporte ético.
Cada vez menos gente se interessa em ver uma corrida onde cada vez mais as "emoções da Fórmula 1", se resumem a essa fala criada pelo Galvão Bueno, enquanto quase nada se vê nas pistas.
Gente que se interessa cada vez menos resulta em anunciante batendo em retirada, e a Globo com o mico de pagar zilhões por direitos de transmissão.
O que a Globo percebeu é que a burocrática corrida de Fórmula 1 está ficando melhor a cada dia para fazer com que as pessoas troquem de canal ou saiam para a rua.
De André Garcia a 28 de Julho de 2010 às 21:14
Discordo em alguns aspectos.

Eu mesmo escrevi uma carta a FIA e F1 chamando aquilo de farsa. Coincidentemente foi o Massa, se fosse outro piloto de outra nacionalidade faria o mesmo.

Há maneiras e maneiras para privilegiar o 1º piloto e acredito que nenhum patrocinador goste da forma escancarada como foi domingo.

E considero competição a motor esporte, porque há dois elementos que caracterizam o esporte: atividade física e mental. Na definição pura do esporte podemos ter uma ou outra, na F1, MOTGP, dentre outras, temos as duas.
Xadrez, por exemplo, só envolve a mental.
De André Garcia a 28 de Julho de 2010 às 21:21
Ah! lembrando que antes de começar a COPA DO MUNDO eu disse: a Espanha será a campeã de 2010.

E torci para Espanha! Porque era e é o melhor futebol a ser assistido. Mesmo com vitórias magras por 1 gol.

Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 13 seguidores

.Procura aqui

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Prazer em encolher: Ducat...

. Linha 2018 Honda chega co...

. Vide Versinha

. Comprei um capacete!

. Indian Motorcycle comemor...

. É uma BMW! Teste da BMW G...

. Parque de diversões, um d...

. Salão da esperança

. Os dias eram assados. Com...

. 10 dicas (mais uma) para ...

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds