Sábado, 6 de Junho de 2015

5 coisas sobre pneus de motos

abre_pneu.jpg

 Pronto: boné Michelin e camiseta Pirelli, assim não ofende ninguém!

Continua a moda da lista de coisas sobre qualquer coisa para estar coisando a coisa direito. 

Os dois temas que mais geram confusão no mundo motociclístico são: frenagem e pneus. A frenagem porque moto - assim como bicicleta - tem sistemas de freios separados para a roda dianteira e traseira e isso dá um nó na cabeça de muita gente. E pneus porque em pleno século XXI ainda tem gente que usa algarismo romano e outros que tratam moto como se fosse um carro de duas rodas! Mas não é!

Um dos grandes absurdos que se espalhou que nem catapora em jardim da infância é essa mania besta de colocar pneus mais largo na traseira só pra ficar mais "bonito". Aprenda: bunda tem que ser maior, porque o homem é da linhagem dos primatas e no nosso código genético está escrito que mulher de bunda grande é boa reprodutora. Tem o componente cafajeste também... Pneu não tem de ser bonito, bunda sim! Pneu tem de ser EFICIENTE!
Mas pneus de motos não são bundas e alguns só são eficientes na medida original, mesmo que seja fino. Pior é ver que alguns designers de fábrica tiveram de entrar nessa onda e projetaram motos com pneus traseiros mais largos só pra atender a massa de gente que deixa de comprar uma moto porque o pneu é fino!!!

pneusportivo.jpg

Testar pneus exige muita sensibilidade... 

Antes de começar, outra informação: são poucos os motociclistas que realmente são capazes de identificar as características de um pneu. Até mesmo profissionais do setor tem dificuldade e uma das profissões mais cabeludas é de piloto de teste de pneus, porque o cabra (ou cabrita) precisa ser tão sensível, mas tão sensível que até chora vendo comercial do Boticário.

Só pra ilustrar, uma vez, muuuuitos anos atrás, uma grande marca de pneus de moto contestou a análise de uma importante revista especializada. Para tentar mostrar que o piloto de teste era um salame, propôs um dia inteiro de teste, levando três pares de pneus para serem avaliados. Ao final de cada teste o jornalista fazia uma análise do que tinha achado. Claro que o jornalista em questão era eu.

Saí com o primeiro set de pneus e dei o depoimento, explicando que era assim, assado, cozido e frito. Depois a mesma coisa com o segundo set e finalmente com o terceiro. Os pneus não tinham identificação e foram apresentados como "protótipos". Muito bem, ao final do dia fiquei com uma enorme pulga atrás da orelha, porque dois pares eram muito, mas muito parecidos. Eles respondiam praticamente iguais em tudo. Mas cadê coragem de afirmar isso num teste. Foi aí que lembrei que em nenhum momento da preleção os técnicos afirmaram que os pneus eram diferentes, apenas disseram que eram três pares!

Na hora de preencher o relatório aquela pulga ali, sugando meu sangue, coçando até que resolvi seguir a intuição pneumática e lasquei no relatório: "os conjuntos de pneus 1 e 3 são iguais, diria que são os mesmos".

Bingo! resposta certa! Eram os mesmos pneus, só que todo mundo que passava por esse teste errava. A partir daí essa marca de pneus não nos colocou nunca mais contra a parede e até reconheceu que o produto que avaliamos tinha sim uma durabilidade menor do que o normal. 

Pois bem, aí me pego ouvindo grandes especialistas motociclísticos morungabeiros afirmando peremptoriamente que a marca de pneu X é muito melhor nas curvas do que a Y e que a Z é melhor na chuva do que a W e por aí vai...

Amigo(a) leitor(a), antes de mais nada saiba que na categoria top de pneus para motos de alta performance, TODOS são muito bons, ótimos, excelentes. Não existe pneu ruim nessa categoria. Saiba também que só tem um jeito de saber se um pneu é "melhor" em determinada condição do que outro: testando no mesmo dia, na mesma moto e com as mesmas condições.

OK, eu sei o que você está pensando: "Ahhhh esse cara é um malacabado, porque eu usava o pneu Y na minha moto e depois que troquei pelo pneu X ela ficou muuuuito melhor nas curvas"!!!
Sim, cara pálida, você tirou da sua moto um pneu USADO e colocou um NOVO, qualquer um ficaria melhor, dãããã... 

Vamos às 5 coisas! 

1) Pneus se trocam aos pares! Isso mesmo que você leu. Faça uma conta matemática simples: sua moto rodou 8.000 km e torrou o pneu traseiro. Aí, como um bom pão duro que és, olha pro pneu dianteiro e pensa "ah, dá pra rodar mais um pouquinho". Nada disso, porque os pneus são coisas que andam aos pares. Se o traseiro rodou 8.000 km o dianteiro rodou quanto? Os mesmos 8.000 km, a menos que você seja o rei do wheeling. Se mantiver o pneu dianteiro e trocar só o traseiro, depois de 4.000 km quanto terá o pneu dianteiro. Hummmm vamos lá, continha fácil: 12.000 km. Aí sua moto estará muito bem apoiada na roda motriz com um pneu meia-vida e totalmente desestabilizada na dianteira com um pneu gasto. Imagine isso na chuva! SEMPRE troque os dois ao mesmo tempo, não importa a aparência do dianteiro é seu pescoço que está em jogo, brimo!

sulcospneus.jpg

Já tinha reparado nisso? Os sulcos dos pneus dianteiro "casam" com os do pneu traseiro. 

2) Use sempre mesma marca modelo nas duas rodas! Outra das batatadas campeãs nas rodas de anencéfalos motorizados é "pow, mano, coloquei um pneu X na frente e um Y na traseira e a moto ficou mó da hora"... Sandice pura, com direito a entrada direto sem escala no Juqueri, ou Pinel. Seguinte, brou, pneus foram feitos para andar aos pares. No seco nem dá muita confusão, mas no molhado o pneu dianteiro deixa uma marca no asfalto que irá encaixar com o sulco do pneu traseiro. Quando isso não rola acontece o que se chama de "crise de paridade", muito comum nos casamentos, que é quando um fala uma coisa e o outro não entende nada.

3) Na chuva precisa reduzir a calibragem. Nãããooo! Todo pneu tem sulcos, também chamados de encavos. Estes sulcos são como calhas para a água da chuva. Então imagina a calha da sua casa. Digamos que ela tem 4 polegadas de diâmetro e a água da chuva passa por ela numa boa. O que aconteceria se você espremesse essa calha como se fosse um tubo de pasta de dente, reduzindo o diâmetro? Reduziria o volume de água a passar. Então, quando esvazia o pneu esses sulcos se fecham que nem as calhas e a capacidade de escoamento da água é menor, aumentando a chance de uma escorregada no molhado. Quando o engenheiro determinou a calibragem do pneu ele sabia que você não mora no deserto do Kalahari, portanto ele já previu o uso do pneu na chuva!

MichelinR1_3.jpg

Pneus de corrida só em autódromo... não insista que faz BUM! 

4) Pneu usado de corrida é bom pra usar na estrada porque gruda mais! Teu nariz que gruda mais. Aprenda de uma vez por todas: nem tudo que funciona em corrida dá certo na rua! Começando pelos pneus! Já escrevi 3.985.427 vezes, mas ainda tem gente que vai nas corridas e sai de lá feliz e contente com um par de pneus de competição usados, porque pagou baraténho!

Os pneus de corrida podem até ter a mesma aparência e nome do pneu de origem da moto, mas é completamente diferente. Eles precisam ser leves e feitos para durar UMA CORRIDA! Entre outras coisas, eles não precisam ser resistentes a buracos, por isso a banda é bem mais macia e tem menos camadas de fibras internas. Isso significa que eles se deformam mais para dar mais área de borracha nas curvas. Só que essa deformação também é no sentido radial e quando a moto atinge a velocidade máxima o pneu "aumenta" porque cresce no perímetro. Ele suporta essa condição por alguns segundos. OK, eu sei o que você está pensando: "pow, mano, mas nas pistas os caras passam de 340 km/h nas retas!". Sim, cara pálida, eles chegam a essa velocidade por menos de um segundo multiplicado por 28 voltas dá menos de meio minuto.
Aí o salamão compra o pneu usado de corrida e vai pra estrada dar 300km/h por cinco minutos seguidos! Adivinha o que acontece com esse pneu? BLOW!

Tem outros aspectos também como temperatura, níveis de compostos, etc. Em suma: pneu de corrida se usa só na pista, punto e basta!

fibraspneus.jpg

 As fibras sintéticas por dentro do pneu são coladas por sobreposição por isso precisa respeitar o sentido de rotação. Ih, até rimou! 

5) O pneu gastou mais de um lado, vou virar! Primeiro saiba que é normal o pneu gastar de forma irregular, principalmente o dianteiro. e não precisa mandar a moto pra alinhar, porque o motivo está no chão, ou melhor, no asfalto. As ruas tem uma pequena inclinação para permitir o escoamento da água da chuva. Como a moto se apóia em apenas dois pontos é normal o pneu gastar mais de um lado.

Mas se você for do tipo track-boy, que não pode passar mais de uma semana sem rodar num autódromo, o pneu também pode gastar mais de um lado. Porque normalmente a pista tem um sentido de rotação. Se for no sentido horário, com a primeira curva para a direita, vai gastar mais o lado direito. Se for no sentido anti-horário, com a primeira curva para a esquerda, vai gastar mais do lado esquerdo.

Nem pense em virar o sentido do pneu para "equilibrar" o desgaste! Lembre que as fibras dos pneus são coladas sobrepostas. Quando o pneu roda no sentido correto essas fibras ficam mais grudadas. Mas se inverter o sentido de rotação essas fibras podem descolar e deformar a banda de rodagem. Mesmo nas motos pequenas os pneus tem sentido de rotação. Portanto observe a seta na lateral do pneu e respeite o sentido de rotação.

 

Se eu lembrar de mais alguma coisa vou aumentando a lista!

 

publicado por motite às 00:38
link do post | comentar | favorito
67 comentários:
De Agnaldo Torrente a 6 de Junho de 2015 às 18:05
E os salamão que dizem: "meeeu, meti 10 libras a mais nos pneus e a moto tá correndo bagarai!"

==================

Salamaão bota "pretinho" nos lados dos pneus (meu Deeeus!!!)

==================

E os mano saem da concessionária a mil sem saberem que os pneus vêm com uma espécie de "cera" de proteção...

===================

De Guilherme a 6 de Junho de 2015 às 21:12
Olá Geraldo, quero lhe fazer uma pergunta, algumas motos principalmente as de pequena cilindrada, já vem de fabrica com pneus com desenhos diferentes, e antigamente os dianteiros tinha os sulcos todos paralelos na dianteira e bem diferentes na traseira. Esse tipo de tecnologia deve ter sido abandonada por novas e mais eficientes?
Abraços.
De motite a 11 de Junho de 2015 às 22:20
Oi Guilherme
As motos de pequena cilindrada não são tão sensíveis aos pneus. Hoje em dia tem até pneus que podem ser usados na frente ou atrás e não tem sentido de rotação determinado.
Mas sim, novas tecnologias tanto na borracha quanto no desenho mudaram muito o conceito de pneus para motos grandes e pequenas.
De Guilherme a 12 de Junho de 2015 às 06:09
Obrigado pela atenção Geraldo, aproveitando o assunto, eu tenho uma moto antiga uma Honda ML 125 ano 83, impecável toda alinhada e tudo mais, como o transito em Curitiba anda uma grande porcaria em virtude de eu rodar muito devido ao meu trabalho atendendo meus clientes, eu optei eu usar a moto, e rodo uma media de 50 a 60 km por dia e sempre uso a mesma marca de pneus a alguns anos, traseiro Metzeler e dianteiro Pirelli , como tenho essa moto a mais de 8 anos esse casamento foi o que melhor funcionou. Mas por estranho que pareça o dianteiro no final de um ano mais ou menos tem que ser trocado, (sempre respeito as marcas de troca nos pneus), e o traseiro eu troco de um ano e meio a 2 anos, quando o pneu avisa que é hora de trocar. Imagino eu que seja pela minha maneira de pilotar, pois uso o freio dianteiro como máster e o traseiro como auxiliar. Será esse o motivo? Abrs .
De Marcell a 8 de Dezembro de 2015 às 23:52
Sempre use o freio traseiro para aumentar ainda mais o "peso" sobre a roda dianteira, para que ela não escorregue com facilidade.
De JB a 7 de Junho de 2015 às 22:03
Parabens pelo artigo, qualidade técnica de quem conhece e muito bem escrito. Dúvida: as motos custom mais pesadas - Tourings da HD - costumam usar 2 traseiros para cada dianteiro, o desgaste observado é esse. Correto ?
De motite a 11 de Junho de 2015 às 22:22
Toda moto gasta mais o pneu traseiro porque é a roda motriz e porque recebem carga do garupa. Mas ao trocar também é aconselhável trocar sempre os dois!
De Alexandre de carvalho a 9 de Junho de 2015 às 10:47
Vivendo e aprendendo, sou apaixonado por moto e a 35 anos só fiz usufluir destas maquinas maravilhosa desde a vilette de 3 marcha. Nunca dei muita atenção os pneus tipo a colocá ai e vamos ver no que dá. Más depois desta matéria a coisa será diferente. Ficou muito agradecido pela orientação, abraço!
De Alvaro Cruz a 11 de Junho de 2015 às 00:29
Olá Tite,
Pretendo trocar os pneus de minha NC700 (só rodo no asfalto em estradas/rodovias) e gostaria de saber as características do Pirelli Angel ST e do Michelin Pilot Road 3.
Obrigado
De motite a 11 de Junho de 2015 às 22:23
Oi Álvaro
Por uma questão de ética eu não posso recomendar pneu X ou Y. Nem fazer este tipo de comparação. Não publicamente...
De Maxwell a 12 de Junho de 2015 às 07:17
E esse merchan de graça no seu boné? rs.
De Rafa a 9 de Março de 2017 às 17:24
É pra não promover só o da camisa!
De Klausner a 30 de Agosto de 2015 às 15:21
Sensacionais suas dicas e com o máximo de bom humor! Fiquei bem informado e ainda dei boas gargalhadas! Parabéns!
De José Lima a 7 de Outubro de 2015 às 01:15
Oi Tite, bacana sua matéria muita informação importante. Mas uma coisa me deixou com a pulga atrás da orelha com relação a tal " crise de paridade", pq tenho uma Bonneville t100 e ela vem de fábrica com pneus diferentes. Estarei eu vivendo a tal crise ?
Um grande abraço.
De motite a 10 de Outubro de 2015 às 16:06
Vixe, não tinha visto seu comentário. Olha, toda moto tem pneus diferentes nas duas rodas, mas sempre da mesma MARCA/MODELO. Quando escrevi "diferente" era as marcas e não o desenho!
De Geórgia a 9 de Outubro de 2015 às 05:19
Bhaaaa que monte de dica legal, ainda mais p mulher que entende muitoooo pouco de mecanica, a gente quer sentar e sair, qdoooo lemra, lava a coitada rsss
De André Marques a 10 de Outubro de 2015 às 00:09
Mesmo sabendo que vou tomar um esculacho, gostaria de tirar uma duvida, Tite! Por falta de opções no mercado nacional de pneus de uso misto de aro 17, estou pensando em colocar um pneu traseiro na dianteira da minha mt03... para ficar no estilo "scrambler", pois pretendo cruzar a BR-319 antes dos períodos de chuva. É muito arriscado? Outra saída seria adaptar uma roda 18 na dianteira para ter opção de usar um pneu dianteiro mais apropriado... mas não sei até que ponto isso também poderia ser perigoso. Não acho muitas posições convincentes nos fóruns... E agora? Troco de moto? hehehe :) Abraço!!
De motite a 10 de Outubro de 2015 às 15:55
Na verdade não será esculachado, até porque tem motos saindo de fábrica com esse tipo de pneu. Mas dá uma olhada nos pneus dessa nova Ducati Scrambler porque eles se parecem muito com o traseiro da XT 660. O problema de usar pneu traseiro na roda da frente é quando pega piso de asfalto molhado, porque ele não consegue quebrar a barreira de água e a frente pode escorregar. Se andar a 70 km/h vai na boa.
De André Marques a 10 de Outubro de 2015 às 18:30
Muito obrigado pela resposta, Tite! Ajudou demais!!! Vou pesquisar os pneus da Ducati sim. Se não, colocarei um pneu traseiro, mas ficarei atento ao teu conselho sobre o piso molhado. Abraço!!
De Neto a 5 de Novembro de 2015 às 14:25
Olá, estou na maior dúvida. Comprei uma 600cc a pouco tempo e agora vou trocar os pneus, mas quero um com borracha mais dura, que dure mais, pq só uso na cidade, mas não consigo entender como identificar isso nos sites de pneus. Poderia me dar uma dica?
De motite a 27 de Novembro de 2015 às 18:51
Oi Neto, o que determina a durabilidade de um pneu não é a dureza ou maciez da borracha, isso é lenda. Na verdade são vários fatores, inclusive o desenho, quantidade e profundidade dos sulcos. Vc não especificou a moto, mas se for uma 600 touring experimenta o Pirelli Angel GT que dura pra caramba!

Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 13 seguidores

.Procura aqui

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Salão da recuperação

. Viajar de moto é tudo de ...

. Honda Day: as novas CB 65...

. Prazer em encolher: Ducat...

. Linha 2018 Honda chega co...

. Vide Versinha

. Comprei um capacete!

. Indian Motorcycle comemor...

. É uma BMW! Teste da BMW G...

. Parque de diversões, um d...

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds